Há mais de 30 anos fabricando alegria!

Dicas

Psicologia das cores na infância: importância e benefícios.

Publicado em 28.03.2024 |
Visualizações
7 visualizações

A psicologia das cores é uma teoria que vem sendo estudada há bastante tempo por grandes filósofos e pesquisadores.

Ela também se aplica às crianças, de modo que geram sentimentos e provocam ações importantes, impulsionando determinadas habilidades.

Neste material, saiba um pouco mais do conceito e veja como incentivar os pequenos usando as cores em favor deles.

Essa ciência pode estimular a coordenação motora, dos olhos, noção de espaço, associação e muito mais. Continue lendo e saiba como fazer isso.

O que é psicologia das cores

Crianças desenhando com tinta colorida

Já se perguntou como cada cor influencia o cérebro? A neurociência, assim como outras disciplinas, explica isso por meio de teorias.

A mais conhecida é a psicologia das cores, reconhecida por citar que esses elementos influenciam nossas emoções e ações.

O primeiro trabalho conhecido sobre o estudo das cores é bem antigo, mencionado por Aristóteles.

Para ele, a cor é uma propriedade. Mais tarde, Johann Goethe falou da Teoria das Cores, mostrando os efeitos delas nos seres humanos. Outro teórico foi Isaac Newton.

Assim, entre tantos estudos, surgiu a psicologia das cores, uma pseudociência que foca no uso das cores para gerar sentimentos, sensações e ações.

O tema faz parte de várias grades curriculares, como da neurociência, psicologia, marketing e assim por diante.

E o que esse conceito tem a ver com o público infantil? Atualmente, educadores e especialistas relacionam o desenvolvimento das crianças a partir das cores.

Ou seja, elas podem aprender com as cores. O que acontece por estímulos e brinquedos didáticos.

O poder das cores no desenvolvimento infantil

menina brincando com bola didática

As cores possuem o poder de influenciar o cérebro humano. Ao passo que, geralmente, as mais vibrantes atuam na capacidade motora e de raciocínio.

É o caso do vermelho e amarelo. Outras, mais claras, trazem o sentimento de tranquilidade, como os tons pastéis.

A partir da psicologia das cores, veja como podem impactar no aprendizado infantil:

Azul

Estimula as áreas cognitivas do cérebro. Isso aumenta a criatividade.

Tem relação direta com ambientes sustentáveis, ao ar livre, frescos e relaxantes.

Porém, não se deve usar em excesso porque pode ser deprimente e triste.

Verde

O verde também é relaxante, como o azul.

Porém, tem uma relação direta com a saúde e as interações sociais, mais do que com a criatividade.

Vermelho

O vermelho é vibrante e quente. Na psicologia das cores, indica estímulos à imaginação e concentração.

Assim, é uma ótima pedida para realizar atividades muito detalhadas, repetitivas e cansativas.

Amarelo

O amarelo é uma das cores mais autênticas, sendo associado à inteligência. Por isso, é tão usado em salas de estudo e escolas.

O problema é que se usado de forma exagerada pode deixar as crianças muito agitadas ou, até mesmo, estressadas.

Laranja

O laranja invoca um pensamento crítico e reflexivo, além de ativar a memória infantil e o foco.

Tem muito a ver com atividade física. Mas, ao lado do vermelho e amarelo, exige atenção para não passar do limite porque pode gerar efeitos colaterais.

Os benefícios das cores na educação infantil

criança brincando com peças de montar

A psicologia das cores tem um papel importante no desenvolvimento integral das crianças porque integra um universo de habilidades.

Abaixo, listamos algumas delas, incentivadas quando essa teoria é aplicada, de maneira didática, no dia a dia dos pequenos.

Coordenação motora

Durante a tarefa de desenhar e pintar, as crianças movimentam as mãos, os dedos, os pulsos e os braços.

Dentro do desenvolvimento motor, eles são os movimentos finos, essenciais para manipular objetos e, depois, impactam no aprendizado da escrita.

Coordenação dos olhos

Com a correria do dia a dia, acabamos não notando o quanto o movimento dos olhos é importante para o bem-estar infantil.

Eles também fazem parte dos movimentos finos. Essa é uma capacidade que pode ser estimulada com desenhos e cores.

Capacidade de concentração

Na hora de montar e encaixar, é preciso ter muita concentração. Se você já montou um Tangram antes, sabe do que estamos falando.

Esse é mais um dos estímulos que acontece quando se trabalha com cores. O Tangram é uma base com peças coloridas para encaixar.

Noção de espaço

Na escola ou em casa, ao desenhar em uma folha, as crianças aprendem sobre noção de espaço.

Afinal, a folha é o espaço-limite para criar formas e abstrações.

Esse limite de linha pode ser combinado com as cores, melhorando ainda mais a noção espacial delas.

Associação

O universo colorido também permite que as crianças se atentem ao mundo ao seu redor.

Assim, podem observar as tonalidades da mesma cor.

E, mais tarde, começam a entender sobre contrastes e semelhanças. Tudo isso colabora com a associação.

Fonética

O desenvolvimento fonético talvez seja uma das primeiras habilidades integradas com a psicologia das cores.

Sabe aquela brincadeira de adivinhar as cores das roupas ou dos objetos? Pois é, nessa hora, há o estímulo da fala, permitindo uma melhor dicção.

Veja como incentivar a psicologia das cores na infância

Os bebês começam a descobrir as cores a partir dos 3 meses, quando a visão começa a “desembaçar”.

A identificação por nomes é um processo gradativo, que se concretiza a partir dos 3 anos.

Ou seja, só depois disso é que começam a chamar as cores por nomes.

Tudo acontece a partir da memorização, o que indica que a prática e a repetição de exercícios podem ser determinantes na aprendizagem.

Ainda que vejam cores diferentes, as crianças ainda não as conhecem, por isso, recomendam-se os estímulos.

Independentemente da faixa etária, a dica pedagógica é brincar com as cores, favorecendo essa aprendizagem.

Os desenhos, rabiscos e visualizações de imagens contribuem com isso. Brincar com as cores traz diversos benefícios, como vimos anteriormente.

O lúdico permite aprender enquanto brincam. Isso torna o processo de aprendizagem leve e divertido. Entre exemplos de brinquedos didáticos:

Inclusive, as mesinhas são ótimas alternativas para realizar as atividades artísticas, também recomendadas para incentivar o conceito da psicologia das cores na infância.

Some ela a materiais como lápis, giz de cera e outros produtos coloridos para garantir a brincadeira.

Para ler outros conteúdos sobre o desenvolvimento infantil, acesse o nosso blog.