Há mais de 30 anos fabricando alegria!

Dicas

9 dicas que toda mãe de primeira viagem precisa saber!

Publicado em 27.03.2024 |
Visualizações
19 visualizações

Ser mãe de primeira viagem representa um misto de emoções na vida de qualquer mulher.

Sentimos medo e insegurança e, ao mesmo tempo, uma alegria estonteante parece pulsar de dentro do peito, do coração.

Isso tudo nos leva a uma ação: perguntas e mais perguntas.

A ideia deste conteúdo é trazer as mais sinceras respostas para essas dúvidas tão comuns das futuras mamães.

A verdade é que ninguém sabe, exatamente, o que vai acontecer em alguns dias, semanas ou meses.

Porém, quanto mais conhecimento tivermos, mais tranquilidade para vivermos esse momento tão lindo das nossas vidas.

1 - Os bons hábitos da mãe de primeira viagem

A gente sempre vai conhecer histórias de alguma mãe de primeira viagem que nem sabia que estava grávida e, por isso, não se cuidou como poderia durante a gestação.

Só que é aconselhável praticar bons hábitos, respeitando o desenvolvimento natural dessa fase.

Para quem ainda não tem rotina saudável, em alimentação e atividade física, por exemplo, talvez esse seja o melhor momento para começar.

Para quem já tem, a ideia é mantê-la. Essa vida mais equilibrada também vale para o pós-nascimento das crianças, viu?

2 - O pós-parto nem sempre será tranquilo

É importante entender que a maternidade é única para cada mamãe, de modo que nenhuma será igual a outra, nenhuma mesmo!

Do mesmo modo, essa certeza também vale para o pós-parto, momento que acontece na sequência ao nascimento dos bebês.

É comum que, devido às mudanças corporais e novas atividades diárias, as mães tenham os hormônios alterados, como está na Revista Crescer.

Isso quer dizer mais irritabilidade, por exemplo. E, sabe qual é o segredo? Entender que está tudo bem, faz parte do jogo!

3 - A amamentação materna sempre gera dúvidas

mae de primeira viagem amamentando bebe

Para uma mãe que vai ter o primeiro bebê, a amamentação será um dos temas que mais vão gerar dúvidas.

Ainda que o tenha estudado muito, a prática é diferente. 

saiba que está tudo bem em procurar ajuda profissional para lidar com isso como veremos a seguir.

A quantidade de leite materno produzido varia de mulher para mulher e isso por si só já indica diferenças entre as maternidades.

Além disso, cada bebê tem seu jeito de aprender novas atividades. Até encontrar a melhor posição para mamar é desafiador.

A saída é buscar apoio de especialistas, como enfermeiras e médicos.

4 - O choro é uma forma de comunicação

Assim como a amamentação, o choro também entra na lista de assuntos “frágeis” das mamães frescas.

Um ótimo começo para lidar com ele é entendê-lo como forma de comunicação dos serzinhos que ainda não sabem como lidar com o mundo.

Um bebê chorando pode indicar muitas situações. Entretanto, só haverá jeito de descobrir o motivo ou desconforto: com paciência, calma e atenção.

Às vezes, é apenas a dificuldade em se adaptar fora da barriga da mãe. Em outras, pode ser preciso uma consulta médica.

5 - Aprenda as técnicas manuais para aliviar as cólicas

mae fazendo massagem para colica no bebe

Para continuar essa lista de assuntos que geram algumas dúvidas, as cólicas.

Ainda que não seja algo que aconteça em 100% dos casos, é um tema comum.

Sempre que possível, opte pelos procedimentos manuais que ajudam os bebês a aliviar os gases naturalmente.

Lembre-se que eles não sabem como fazer isso, os movimentos e a coordenação motora se desenvolvem apenas alguns meses depois.

Sendo assim, massagens, banho de ofurô, posições de barriga para baixo e compressas com pano aquecido são interessantes.

6 - Aceite e peça ajuda sempre que for necessário

Uma das maiores dificuldades das mamães recentes é pedir ajuda. Entre os motivos, a autocobrança.

É um equívoco cobrar-se tanto pela responsabilidade de educar e cuidar dos bebês.

Mais do que isso, saiba que é positivo ter alguém de confiança por perto.

O apoio dos companheiros ou companheiras, dos avós, dos tios, dos amigos e, se possível, de profissionais como babás e enfermeiros, pode mudar o jogo nas fases mais difíceis da maternidade.

Essa ajuda, inclusive, é importante para encontrar tempo e motivação para o autocuidado, outro assunto que merece atenção.

7 - Saiba estabelecer limites na criação dos bebês

Para complementar o tópico acima, esse aqui é mais do que necessário.

Pedir ajuda ao ter um recém-nascido é uma ótima ideia porque esse é um momento único na vida da mãe de primeira viagem.

Esse apoio serve para buscar uma melhor rotina para todos, pais e bebês.

Ao mesmo tempo, é preciso cuidado porque muitos “pitacos” vão aparecer.

O problema é que, ainda que seja a melhor das intenções, nem sempre são sugestões assertivas ou agradáveis.

Então, confie na sua intuição e ofereça o melhor para seus pequenos.

8 - A rotina da maternidade é outra

Por mais que você tenha pensado em uma rotina ideal, a verdade é que a maternidade nos exige esforços e adaptações o tempo todo.

Isso também é comum de acontecer. Procure sempre pensar em maneiras de que as ações do dia sejam mais confortáveis.

Uma recomendação pediátrica é criar hábitos, ainda que não seja possível ter uma rotina completa.

Afinal, lembre-se que os bebês ainda não sabem exatamente o que fazer, como fazer e por que fazer.

E quanto mais a gente puder auxiliá-los, melhor a adaptação.

Por exemplo, os passeios em carrinhos são interessantes de serem feitos sempre na mesma hora do dia.

Inclusive, é uma ação interessante para estimular o contato com a natureza.

Outras ideias de rotina acontecem na hora do banho e nas músicas para ninar.

9 - O autocuidado é importantíssimo na maternidade

gestante sentada na cama

O mais comum de ouvir de uma mãe de primeira viagem é: primeiro, o bebê; depois, eu me cuido.

Apesar de nos trazer um sentimento de muito carinho e cuidado com os pequenos, também é preciso pensar nos efeitos colaterais disso.

A maternidade vai exigir muito esforço, tempo e dedicação das mamães.

O problema é que a falta de autocuidado prejudica, justamente, na hora de cuidar dos filhos.

É preciso estar bem consigo mesmo para ter forças para fazer as atividades da maternidade. Entende?

É mãe de primeira viagem? Saiba que cada processo é único!

Para finalizar, o mais importante de tudo, entre todas as dicas, é saber que não existe um jeito certo ou errado de lidar com a maternidade.

Ser mãe de primeira viagem é um estado individual de cada mulher, com múltiplas variáveis, tornando cada processo único.

Por isso, respeite seu momento e evite dar atenção para comparações que não agreguem no seu novo aprendizado.

Sempre que possível, curta os momentos. Ainda que alguns sejam dolorosos, fazem parte do jogo e sempre entram na bagagem das experiências.

Gostou deste conteúdo e quer continuar acompanhando as notícias sobre maternidade e o mundo infantil?

Acesse nosso blog. Frequentemente, disponibilizamos materiais gratuitos do seu interesse.