Dicas

Coordenação motora grossa: entenda o que é!

Publicado em 06.02.2024 |
Visualizações
56 visualizações

A coordenação motora grossa é a ação de movimentar os membros superiores e inferiores, como pernas, braços e tronco, ou seja, está relacionada aos músculos maiores.

E, de modo simples, podemos dizer que desempenha funções que movem o corpo.

Diferente da musculação para adultos, quando o foco é fortalecê-los, para o público infantil recomenda-se o incentivo a descobrirem o que o corpo pode fazer.

Ainda bebês, eles não sabem que podem movimentar o braço para levar a mão até um objeto, por exemplo.

O aperfeiçoamento acontece ao longo do tempo.

E, por isso, os estímulos são tão fundamentais para que as ações aconteçam com precisão e voluntariamente.

Neste texto, saiba o que é a coordenação motora grossa e as melhores atividades para incentivá-la.

O que é coordenação motora grossa

mamae estimulando a coordenacao motora grossa do filho

Ela acontece quando os músculos maiores do corpo desempenham seus papéis, por meio dos movimentos.

Depende da evolução e fortalecimento deles, assim como da sincronização.

Portanto, a coordenação motora grossa é necessária para:

  • Equilíbrio do corpo,
  • Percepções gerais e
  • Tônus muscular.

A explicação é simples: a coordenação motora grossa está ligada às atividades rotineiras, como esticar os braços e andar.

O que ajuda a entender a necessidade de incentivo e estímulos aos pequenos, desde bebês.

Com o desenvolvimento saudável, aprendem ações como sustentar a cabeça.

A diferença entre coordenação motora grossa e fina

Se a coordenação grossa tem a ver com os grandes músculos, a fina é sobre movimentos dos pequenos, como mãos e olhos.

Logo, no primeiro caso temos exemplos como andar e correr. No segundo, escrever e pegar objetos.

Para ambos os tipos, considere a possibilidade de usar brinquedos no aprendizado motor.

São vários os produtos que auxiliam nessa interação e conexão de músculos com o sistema nervoso.

Por exemplo, blocos de construção, quebra-cabeças e instrumentos musicais.

Como a coordenação motora grossa se desenvolve

bebe engatinhando

O desenvolvimento das habilidades motoras grossas é gradual, a partir do fortalecimento muscular e da coordenação dos músculos.

Esse entendimento é fundamental para compreender e acompanhar as fases dos bebês, como o sentar, engatinhar, andar e correr.

Por meio de atividades, profissionais da saúde e responsáveis auxiliam as crianças a desenvolverem a musculatura.

De modo que, a partir disso, elas possam se sentirem seguras e confiantes para o dia a dia.

Teoricamente, isso acontece devido a essas funções:

  • Força muscular (força contra resistência),
  • Resistência muscular (força repetidas vezes),
  • Planejamento muscular (mover o corpo em sequência),
  • Aprendizagem motora (experiência do comportamento motor),
  • Controle postural (estabilizar tronco e pescoço),
  • Processamento sensorial (resposta às sensações do ambiente e corpo),
  • Consciência corporal (compreender espaço em relação aos membros),
  • Equilíbrio (manter-se em posição),
  • Coordenação (integrar vários movimentos),
  • Linha média (lado esquerdo e direito),
  • Propriocepção (posição do próprio corpo) e
  • Tônus muscular (tensão muscular em repouso).

prática esportiva é uma das maiores ferramentas para a evolução gradativa dessas funções.

No entanto, para bebês, a descoberta acontece naturalmente.

Em casos específicos, recomenda-se as visitas nos pediatras e com fisioterapeutas especializados.

As fases da coordenação motora grossa

Um bebê não vai levantar do berço e sair andando, justamente pelo fato de que leva tempo até que aprenda os movimentos do corpo, o que também exige força muscular.

No geral, algumas fases são mais comuns no desenvolvimento da coordenação motora grossa. Veja.

  • Até 3 meses: sustentar a cabeça e rolar,
  • 4 meses: sentar,
  • 5/6 meses: apoiar no chão,
  • 6/7 meses: levantar os braços,
  • 7/8 meses: sentar sem apoio,
  • 9 meses: sentar por mais tempo e
  • 12 meses: andar.

Existem vários pontos importantes a serem mencionados.

Essas indicações são médias e referências, mas não implicam em verdades absolutas.

Assim sendo, de bebê para bebê, o tempo pode ser outro.

O que é importante é acompanhar de perto esse desenvolvimento.

Se você desconfia que o seu bebê possa ter o transtorno de desenvolvimento da coordenação (TDC), com dificuldades em realizar essas ações, procure um pediatra.

Sempre priorize essa orientação médica na hora de estimular e auxiliar os pequenos.

Além disso, passado os 12 meses, quase todas as atividades relacionadas a coordenação motora grossa poderão ser executadas.

Do pedalar um carrinho Policar até jogar bola e dançar.

Lembrando: é importante respeitar e observar o desenvolvimento individual.

Atividades para estimular a coordenação motora grossa

crianca brincando com bicicleta de equilibrio

compre o seu

A coordenação motora está ligada às habilidades-base para outras que vão acontecer ao longo da vida.

Por isso, há uma grande importância que se desenvolvam da melhor forma desde o início.

Há atividades adequadas que cumprem essa missão.

Brinquedos para virar a cabeça e o corpo

Para os bebês fortalecerem os músculos, deixá-los de bruços por algum tempo é indicado.

Nessa situação, o incentivo com brinquedos faz muito sentido, dando início a base motora.

Mais tarde, isso também terá papel importante, quando forem engatinhar.

Dependendo da idade, usar produtos com barulho, como chocalhos, é legal.

Posicione atrás dele e o balance, de modo que emita som e eles possam procurar com os olhos, virando a cabeça e, vez ou outra, o corpo.

A ação é ótima para localização espacial e tônus muscular.

Guie com as mãos para começarem a andar

Quando começam as tentativas para andar, uma boa ideia é ficar em um ambiente plano, sem obstáculos.

Então, de frente aos bebês, segure ambas as mãos e vá caminhando, servindo como guia.

É importante que os adultos andem de costas e os pequenos de frente.

Além da questão do incentivo motor, isso também tem papel comportamental.

Afinal, dá confiança para continuarem tentando a explorar a casa.

Acompanhe durante a subida e descida de escadas

A mobilidade também faz parte da coordenação motora grossa e os movimentos de andar e subir são importantes de serem executados ainda na fase inicial da vida.

Então, uma ideia de estímulo é ensinar o jeito de fazer e acompanhar de perto, para evitar acidentes.

No começo, é provável que subam os degraus engatinhando e está tudo bem!

Aos poucos, repita a atividade, incluindo novos degraus.

Ao ver os adultos fazendo isso, é comum que eles também se interessem por subir e descer em pé e não mais de joelhos.

Use brincadeiras nas fases da coordenação motora

É importante observar que para cada nova fase da coordenação motora haverá uma brincadeira aconselhável.

Após as menções acima, saiba que brincar saltando objetos é interessante para que eles consigam pular, sendo essa uma ação que exige concentração.

Depois, corridas e danças são bem-vistas.

Inclusive, porque auxiliam no aumento da amplitude dos movimentos e, também, na melhora da postura.

Entre outras vantagens de incluir as brincadeiras: equilíbrio, flexibilidade, resistência e percepção corporal.

Para continuar acompanhando mais sobre o desenvolvimento infantil, acesse o blog.