Há mais de 30 anos fabricando alegria!

Dicas

Caligrafia: 5 dicas para treinar brincando com as crianças.

Publicado em 28.03.2024 |
Visualizações
31 visualizações

O caderno de caligrafia é um objeto escolar que nunca sai de moda.

Mesmo com os avanços tecnológicos, continua sendo necessário para praticar essa habilidade, fundamental no desenvolvimento infantil.

A seguir, descubra como treinar caligrafia com as crianças de maneira divertida.

O que é ter boa caligrafia?

menina praticando caligrafia em quadro negro infantil

A boa caligrafia é uma letra bonita? Em décadas antigas, essa poderia ser a melhor definição do termo.

Hoje, não mais. No contexto atual, a caligrafia indica a habilidade de escrever automaticamente, com certa frequência e legibilidade.

Isso não significa que o conceito antigo valorizava mais a estética.

Porém, hoje em dia os professores e especialistas focam muito mais no entendimento do que está escrito do que no “desenho” ou “formato” da letra.

Já quando queremos pontuar a ação, uma das melhores formas de explicar é: “atividade mecânica escrever com as mãos, arte que se aprende na prática e na repetição”.

Quando começar a ensinar caligrafia para a criança?

Uma próxima dúvida comum de acontecer na vida das famílias é sobre o período para incentivar o aprendizado da caligrafia.

Ainda mais em uma época em que as tecnologias envolvem outras ações, tais quais digitar e clicar.

A recomendação é que os incentivos sejam feitos em conjunto com as atividades escolares, isto é, quando as crianças começam a fazer a letra cursiva*.

O que costuma ser por volta dos 7 anos, quando os pequenos e as pequenas vão para o ensino fundamental.

*Obs. A letra cursiva é chamada de “letra de mão” e a letra bastão é a “letra de forma”.

Há uma explicação para essa indicação. É nessa fase que as crianças começam a expressar seus pensamentos.

Além disso, têm maior possibilidade de fazer movimentos das letras cursivas devido ao desenvolvimento motor dos dedos, mãos e braços.

No entanto, note que antes da letra de mão, temos a letra bastão. Ela também é importante para o processo de aprendizado da leitura.

Só que favorecem outras habilidades, como a noção de espaço em uma folha e a caracterização dos formatos.

Como ensinar caligrafia para seu filho de forma divertida?

menina escrevendo em caderno

Nos tópicos anteriores, vimos que a caligrafia é uma prática importante para o desenvolvimento infantil.

No entanto, isso não significa que seja fácil de ser incentivada.

Isso porque usar o lápis para escrever envolve vários processos simultâneos e pouco automáticos.

O caderno de caligrafia continua sendo uma boa opção pedagógica, contudo pode não ser muito agradável para as crianças do ponto de vista da diversão.

Por isso, criamos este tópico para trazer ideias mais dinâmicas e divertidas de aprender a escrever.

Inclusive, também são recomendadas para crianças autistas.

1 - Esteja presente

É verdade! Esta é a dica mais simples e, talvez, uma das mais eficientes. Nem sempre, o aprender a fazer letras será algo convidativo para as crianças.

Nesses casos, a presença do pai e/ou da mãe contribui demais no processo de aprendizado porque traz segurança.

Ao ensiná-lo como segurar o lápis, comemorar com quando uma letra for finalizada ou auxiliar para caprichar mais da próxima vez são ações que motivam.

Além disso, os adultos podem encontrar formas alegres de consertar um erro ou manter a constância do estudo.

2 - Estimule por meio de desafios

Se a ideia de fazer algo por obrigação é ruim, saiba que desafios podem ser estimulantes.

Meninos e meninas adoram uma competição, ao passo que você pode criá-la de forma saudável.

Com um papel e lápis na mão dá para pensar em diversas alternativas.

Para quem não sabe muito bem por onde começar, que tal fazer um jogo de ligar os pontos e, no fim, formar uma letra?

Ou um jogo da memória, de modo que quando encontrar uma letra bastão, a criança tenha que fazer a correspondente, no formato cursivo.

3 - Use livros de ilustração

O caderno de caligrafia pode parecer algo teórico demais. Porém, quando adaptado para um livro de ilustração, com desenhos, símbolos e cores, o contexto é outro!

A história muda, porém, o objetivo continua o mesmo: exercitar a caligrafia em uma folha de papel.

É curioso observar que no mercado existem vários tipos e opções desses livretos ou coleções.

Alguns estimulam com mais ênfase a coordenação motora.

Além de terem seções destinadas a colorir e desenhar de forma livre, o que também é interessante para eles.

4 - Faça a brincadeira da história livre

Essa brincadeira funciona assim: use duas folhas de papel em branco. Conte uma história para a criança.

Quando acabar, pegue a sua folha e comece a desenhar. A criança deve contar o que entendeu escrevendo, com palavras. Isso estimulará a ser criativa e usar a escrita.

Desse modo, a brincadeira se torna mais divertida. Dá para fazer um telefone-sem-fio também, com essa ideia de escrever o que se ouviu no papel.

5 - Brinque de mímica

Imagine um jogo de mímica. Então, ao invés de falar o que estão vendo, as pessoas devem escrever em letra de mão.

Pronto, está aí uma das ideias mais simples e criativas que funcionam para treinar a caligrafia das crianças.

Basta uma mesinha e muita disposição para começar a brincar.

O interessante é que seja uma brincadeira saudável, podendo ser coletiva também.

Para agilizar, outra sugestão é pegar cartas ou imagens no celular e então incentivar a criança a escrever no papel o nome do objeto, animal ou personagem que está ali.

Os benefícios de incentivar a caligrafia

escrevendo em caderno de caligrafia

Ao longo do blog, vimos que existem formas simples e divertidas de auxiliar as crianças no aprendizado e aprimoramento da caligrafia.

Em certos momentos, também mencionamos que a atividade permite o acesso a diversos benefícios do desenvolvimento delas.  Entre os principais:

  • Favorece a coordenação motora, como ao segurar firme no lápis;
  • Desenvolve a prática manual, importante em um mundo tecnológico;
  • Melhora a concentração por exigir um alto nível de atenção;
  • Auxilia na organização de informações e codificação;
  • Aumenta a capacidade cerebral, inclusive no uso da memória;
  • Facilita o aprendizado da leitura ao familiarizar com as letras;
  • Promove maiores associações das ideias a partir de padrões e
  • Ajuda as crianças a gerenciarem as emoções, aliviando estresse e ansiedade.

Dessa forma, não há dúvidas de que é possível e indicado buscar uma harmonia entre o que é tecnológico e o que é manual.

A caligrafia é uma dessas atividades manuais e “analógicas” que precisam ser incentivadas.

Para acompanhar outras notícias e atividades relacionadas ao desenvolvimento infantil, leia o blog da Poliplac.