Há mais de 30 anos fabricando alegria!

Dicas

Volta às aulas: 7 dicas de como lidar com esse período difícil.

Publicado em 19.02.2024 |
Visualizações
15 visualizações

A volta às aulas é um período complicado para as crianças. O principal desafio é retornar a rotina de estudos.

E essa insegurança também se relaciona à ansiedade delas pelas novidades que virão: novos amigos, novos professores e, às vezes, até nova escola.

Sabendo disso, selecionamos as principais dicas para lidar de maneira mais tranquila e menos estressante com essa retomada. Acompanhe!

7 dicas de como lidar com a volta às aulas

menina escrevendo em quadro negro

A volta às aulas indica mudança. Para as crianças, é muito semelhante ao que acontece com os adultos, quando vamos passar por uma fase ou momento novo, porém, em proporções diferentes.

Por isso, é importante estar ao lado dos pequenos e não contra eles.

1 - Abra espaço para conversas

Infelizmente, muitos pais e responsáveis têm o hábito de evitar qualquer tipo de conversa com os pequenos por acharem que não vão entender.

É um erro. Essa abertura, quando genuína e sincera, permite que os pequenos se exponham e compartilhem sobre seus anseios.

É a partir disso que os adultos ganham a confiança para ajudá-los.

Então, quanto mais natural esse bate-papo for, maiores as chances de as crianças concordarem com as motivações e a importância de voltar para a rotina de estudos na escola.

2 - Volte aos poucos para a rotina

Rotina é aquilo que acontece todos os dias, muitas vezes, de modo inconsciente. Porém, não se cria rotina de uma hora para outra.

É preciso tempo para a adaptação da nova realidade. O mesmo conceito funciona para a volta às aulas das crianças.

Ainda que muitos pais, avós e responsáveis consigam manter uma parte do dia a dia dos pequenos durante as férias; o mais comum é que a rotina mude.

Seja por dormir um pouco mais tarde ou comer em horários diferentes dos quais eles estavam acostumados. A principal dica é: vá aos poucos!

3 - Evite cobranças exageradas

Agora, outra dica que faz todo sentido para evitar a exaustão e permitir uma adaptação progressiva.

O primeiro dia de aula, assim como a primeira semana, causa estranheza e frio na barriga.

A saída é torná-los mais leves, evitando cobranças exageradas.

O que seriam essas cobranças? Exigir algo que é muito difícil ou trabalhoso para os pequenos conseguirem realizar naquele instante.

Por exemplo, impor a realização de uma rotina perfeita logo nas primeiras horas de volta às aulas pode ser fora de medida.

4 - Conte com as crianças na organização dos materiais

preparando a mochila para a volta as aulas

Uma forma leve de lidar com esse momento é deixando que os pequenos participem de algumas atividades, como na organização dos materiais.

Em alguns casos, levá-los para a compra não é uma boa ideia devido aos gastos, que podem ser maiores do que o previsto.

Só que há outras formas de incluí-los, veja a seguir alguns exemplos:

  • Etiquetar os produtos,
  • Arrumar a bolsa,
  • Encapar os cadernos,
  • Separar os lápis e arrumar os estojos
  • Fazer o lanche para o dia seguinte

Esse checklist que as escolas enviam aos pais pode ser compartilhado com eles.

Assim, cria-se uma ambientação mais agradável e mostra que todos estão no mesmo “barco”.

Além de gerar conexão entre os familiares e fortalecer laços pelo trabalho em equipe.

5 - Envolva os pequenos nas atividades do dia a dia

A rotina escolar é a que acontece dentro da escola. Fora dela, há outra rotina, mais familiar. De todo modo, uma impacta na outra.

Por isso, é interessante envolver as crianças para ajudarem na programação do dia a dia. O que vocês farão após a aula?

Definir os horários, ainda que eles não tenham a perfeita noção do tempo, é uma medida bacana para participarem do cronograma.

Isso é pelo senso de pertencimento. Talvez, com isso, possam surgir ideias como uma cantoria, atividades físicas, aula de inglês, etc.

6 - Participe das atividades para casa

As tarefas para casa, geralmente extracurriculares, são oportunidades para se aproximar dos filhos, sobrinhos e netos.

Ainda que eles saibam resolver os problemas ou fazer os desenhos, considere a chance de dividir aquele conhecimento e as descobertas com eles.

Esse reconhecimento de que poderão contar com vocês faz parte do jogo e vai além das resoluções escolares.

Tem a ver com confiança. Sem contar que essas atividades sempre acabam sendo menos estressantes e maçantes quando feitas em parceria.

Neste caso, dá para pensar em estratégias de incentivo ao estudo, como jogos e brinquedos que as crianças aprendem brincando.

Após uma tarefa finalizada, um livro lido, uma conta feita ou algo do tipo, comemore junto.

7 - Incentive a autonomia das crianças

mae acompanhando estudos da filha

Esse tópico é para lembrar que, apesar da participação dos adultos ser importante, as crianças também precisam de autonomia para realizar suas atividades.

Do mesmo modo que estar ao lado faz sentido para que os pequenos ganhem confiança, eles são capazes de realizar muitos feitos sozinhos.

Claro que seria muito mais fácil deixá-los assistindo desenho e fazer as coisas por ele, mas não é o ideal.

Esse abuso das tecnologias pode custar muito caro no futuro, sendo que ao invés de serem confiantes, as crianças podem se tornar dependentes.

Até mesmo na hora de brincar, considere optar por brinquedos que exigem e incentivam o desenvolvimento deles.

A volta às aulas e o bullying

Vimos aqui que a adaptação para a volta às aulas não é uma tarefa simples, mas é totalmente possível quando praticada de forma divertida.

Aliás, esse assunto também abre espaço para falarmos de bullying.

Isso porque esse retorno aos estudos pode trazer lembranças negativas às crianças, principalmente, quando se sentem rejeitadas.

O bullying não é apenas apelidos nocivos ou agressão física. Também tem relação com:

  • Intimidação,
  • Ameaça,
  • Humilhação e
  • Maltrato.

Contudo, ao seguir as dicas acima e estar próximo deles, você notará sinais de que isso pode ter acontecido ou pode estar acontecendo.

A melhor forma de combater e lidar com as rejeições é através das conexões com adultos e em alguns casos, com especialistas. 

Atente-se para não deixar que a escola se torne um ambiente infértil para o aprendizado.

Acompanhe o nosso blog e acesse mais conteúdos com dicas sobre como lidar, também, com outros momentos de ansiedade e mudanças na vida das crianças.